2010 - Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social

A REAPN é uma entidade sem fins lucrativos, reconhecida como Associação de Solidariedade Social, de âmbito nacional, tendo sido constituída a 17 de Dezembro de 1991. Em 1995, é reconhecida, pelo Instituto de Cooperação Portuguesa, como Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD).

Origem

Actualmente, a Rede Europeia Anti-Pobreza está presente em 25 países que integram a União Europeia, incluindo várias Organizações Europeias, que se baseiam em valências diversas e modelos específicos.

Missão

A missão da REAPN é defender os direitos humanos fundamentais e garantir que todos tenham as condições necessárias ao exercício da cidadania e a uma vida digna, promovendo a luta contra a pobreza e a exclusão social, o trabalho em rede e o envolvimento de toda a sociedade civil.

Princípios

A Missão da REAPN é prosseguida através de um conjunto de acções enquadradas por princípios de actuação segundo os quais é regida a sua intervenção, nomeadamente:

- Reconhecimento da natureza multidimensional da pobreza e da exclusão social, o que exige um enfoque global e integrado destas situações;

- Promoção da cooperação com outras ONG ou actores activos na luta contra a pobreza e exclusão social;

- Elaboração de políticas e desenvolvimento de actividades tendo por base a opinião das pessoas que vivem e enfrentam situações de pobreza e exclusão social;

- Promoção da participação das pessoas em situação de pobreza e exclusão social e dos organismos em que estas participam, procurando facilitar-lhes os meios para este fim;

- Respeito pela paridade e igualdade de oportunidades em termos de género e grupo social de origem (minorias étnicas), promovendo uma participação equilibrada de todos nas diferentes estruturas da REAPN;

- Promoção do respeito pela diversidade cultural e religiosa e a igualdade de tratamento de todas as pessoas, combatendo todo o tipo de discriminação baseada no género, origem étnica, religião ou credos, deficiência, idade, orientação sexual e origem ou condição social.

Valores

- A Justiça como fundamento. Só haverá justiça quando direitos e deveres forem uma constante na vida de todos os homens e mulheres. Pobreza é, acima de tudo, ausência de Justiça.

- A Igualdade como regra de convivência: todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos e tal facto faz com que não possa existir qualquer forma de discriminação entre seres humanos. Assim, é fundamental reafirmar o princípio da igualdade como fundamento ético para a erradicação da pobreza.

- A Partilha como expressão da solidariedade: não basta afirmar que se é solidário e agir em conformidade apenas quando acontece uma tragédia, uma guerra, uma tempestade ou um incêndio. A partilha deve ser uma atitude permanente (sobretudo e perante os que mais sofrem).

- A proximidade. Sem encararmos o ser humano como nosso semelhante, de forma fraterna, independentemente do local e da situação em que se encontra, independentemente de género, cor da pele, religião, dificilmente poderemos perceber o verdadeiro significado da pobreza e da desigualdade que a mesma comporta.

É imprescindível, quotidianamente, fazer nossos os problemas dos outros porque, e definitivamente, a pobreza não é um problema individual.


Página inicial   ·   Adicionar aos favoritos
desenvolvido por Bizview - Sistemas e Comunicação